03 outubro 2011

Apresentando: Os Haxinxins


Vindos da Zona Lost, apelido dado para a Zona Leste da cidade de São Paulo, e também de onde vieram as principais bandas garageiras da cena alternativa nacional, Os Haxixins talvez sejam a mais obscura de todas. Influenciados rock dos anos 60, pelo garage punk e a psicodelia suja e mal gravada, o curioso nome da banda surgiu inspirado no livro “Clube dos Haxixins”, de Téophile Gautier.

A recomendada obra relata as experiências de um grupo de fumantes de haxixe fundado em 1845, que reunia, em Paris, artistas e intelectuais da época, tais como o poeta e escritor Charles Baudelaire (Paraísos Artificiais), o pintor Eugene Delacroix, além do próprio autor do livro. Os encontros, sempre realizados no mítico Hotel Pimodan, na capital francesa, serviam para promover o uso do haxixe, levando seus membros a se deliciarem nas mais fantásticas alucinações e pesadelos, inspirando suas obras e, após mais de um século, influenciando igualmente os atuais Haxixins de São Paulo.

Além do visual retrô, os caras só tocam com equipamentos antigos, analógicos e fazem questão de carregar seus Gianinis Tremendões e Phelpas por onde vão. Outro diferencial das apresentações do grupo são as projeções de luzes psicodélicas sobre os músicos.

Depois de quase desistirem de gravar um disco devido a tentativas frustradas de fazê-lo como as bandas dos anos 60, em 2007 eles foram apadrinhados pelo Berlin Estúdio, na capital paulista e produzidos por um dos donos, Jonas Serodio e, finalmente conseguiram chegar ao resultado tão esperado com o uso de gravador de rolo, amplificadores valvulados e instrumentos de época.

O disco de estréia, homônimo, e o segundo “Under The Stones / Debaixo das pedras” saíram pelo selo português Groovie Records em vinil de 12 polegadas, apresentando composições próprias banhadas em ácido lisérgico, e covers de bandas obscuras de garage rock, como "Dirty Old Man" (The Electras) e "In The Deep End" (Artwoods). Na seqüência, veio a primeira turnê européia, que passou por Portugal, Espanha e Itália.

Com letras em português, guitarras fuzz, baixos hipnóticos e órgãos derretidos, os Haxixins proporcionam uma viagem visual e musical, com ou sem sua droga predileta.

E tudo isso para convidar a todos para o show dos paulistas no Cult22 Rock Bar, no próximo dia 7 de outubro!



Os Haxixins - "Onde meditar"

Nenhum comentário: