15 março 2011

Cisne Negro - Crítica

Natalie Portman em "Cisne Negro"

O que esperar de um filme onde o diretor de nome estranho (Aronofsky) já fez trabalhos no naipe de Requiem Para um Sonho, O Lutador e A Fonte da Vida? Uma resposta provável é mais uma obra prima! E talvez seja justamente essa a palavra, que define o último filme do diretor Darren (nome estranho) intitulado Cisne Negro.

O diretor provou seu talento quando o assunto é o ser humano em seus outros longas. Em Cisne Negro, ele nos proporciona a delirante viagem por dentro da mente pertubada de Nina, personagem vivido com maestria por Natalie Portman (melhor Atriz Oscar 2011). 

Nina é uma bailarina que têm a oportunidade de interpretar o famoso balé escrito por Tchaikovsky, "O Lago dos Cisnes". Ela tem todos os ingredientes para viver o cisne branco, com toda sua aparente fragilidade e inocência, porém, lhe falta a "perversidade" necessária ao cisne negro. A partir do momento em que surge Lily (Mila Kunis) incrivelmente dada ao papel - e com atributos físicos que, acredito eu, nem Macaulay Culkin teve a oportunidade de conferir – Nina se mostra competitiva e disposta a agarrar o papel. E é a partir daí, que começa a viagem angustiante por dentro de um universo de pânico e claustrofobia mantidos dentro da cabeça da personagem.

Com ótimas atuações além das já citadas, Vincent Cassel, Winona Rider (quase irreconhecível) e Barbara Hershey completam o elenco principal. Além de tudo isso é imprescindível não citar a segura e amarrada direção do gênio Darren Aranofsky. Sim, sou suspeito para falar, pois ainda não me decepcionei com nenhum trabalho desse artista instigante. Aronofsky injeta energia, loucura e humanidade em um roteiro que, digamos, é eficiente. Porém seria burocrático sem as intervenções do diretor e a mágica atuação de Natalie, praticamente em simbiose com o personagem. A força dessa personagem é algo que me arrepia só de lembrar. Os olhos de Natalie na cena final da película são daqueles que não esquecemos facilmente.

Clint Mansell, é quem assina e assinou a trilha em praticamente todos os filmes do diretor. Uma trilha poderosa que completa de forma ímpar o frenesi causado pelo pouco mais dos 90 minutos. Os figurinos ficaram por parte de Amy Westcott (figurino geral) e pela dupla Laura e Kate Mulleavy (figurino do balé).

A experiência causada por esse clássico contemporâneo é como a mente humana, delicada e terrivelmente assustadora.

Trailer de Cisne Negro

Nenhum comentário: