29 março 2011

Apresentando - Fusile

Quando minha amiga Dos Santos me pediu pra escrever sobre novas bandas no blog My Favorite Way, no início não gostei muito da idéia. Achei um pouco pretensioso e até narcisista. Porém, refletindo mais sobre a idéia e percebendo a necessidade que sinto do grande público se aproximar dos reais valores da cena musical no Brasil e na América do Sul, aqueles não associados ao hype ou a superficialidade do momento, resolvi aceitar a empreitada.

Mas antes gostaria de revelar uma pirraça minha. Eu não uso, não gosto e não acredito no termo música independente. Na minha visão ninguém nesse mundo de meu deus é, foi ou será independente. Todos nós, de uma forma ou de outra somos dependentes do outro ou dos outros. Prefiro buscar termos semelhantes como musica underground ou banda alternativa. A única exceção seria uma frase muito feliz que Marcos Pinheiro (Cult22) disse, há alguns anos, a respeito do festival Porão do Rock, do qual foi curador: “O festival é independente, pois independente do tamanho, do lugar e das bandas, vai rolar!”. Genial.

Fusile

Enfim, para inaugurar o espaço gostaria de falar sobre a Fusile. Uma das gratas surpresas da nova safra da cena musical da capital mineira e destaque absoluto do festival goiano Vaca Amarela do ano passado. Após diversas mudanças de formação, o quinteto de Belo Horizonte conta atualmente com Shairon Lacerda na guitarra e vocal, Sérgio Scliar no baixo, Rafael Cocão na bateria, Henrique Sataino no sax e Igor Rajão no trompete e programações.

No som, a Fusile é uma mistura inusitada que passeia livremente entre vários estilos musicais que comunicam muito bem entre si. Música alternativa, ska, punk e o que o mundo (ou os EUA) se acostumou a definir de forma preguiçosa como ritmos latinos, compõem a sonoridade de difícil classificação. Difícil também é ficar parado ao assistir uma apresentação dos mineiros. Fico imaginando o estrago que eles fariam em um festival de grande porte como o Porão do Rock, por exemplo.

A Fusile tem o EP Coconut Revolution lançado no ano passado e disponível para baixar no site oficial da banda. Composto de cinco músicas, que representam bem a salada sonora que abusa da variedade sem perder a coerência jamais. Irreverente, político, ácido, explosivo e muito dançante, Coconut Revolution tem letras em inglês, espanhol e francês.

Mas porque falar do Fusile? Oras nada mais óbvio. Após a apresentação devastadora no Vaca de 2010, o público goiano tanto pediu e a Fósforo Cultural traz eles de volta a cidade. A banda se apresenta em Goiânia (onde mais?) no dia 1º de abril, próxima sexta-feira, acho que no Metrópolis.

Detalhe: fuçando na Internet descobri que, quando perguntado sobre as influências da banda, o vocalista Shairon cita Carmem Miranda, o artista urbano americano Banksy, o filme Tempos Modernos de Charles Chaplin e até a modelo Kate Moss. Outro detalhe interessante. A Fusile tocou em uma edição na capital mineira do evento brasilense Móveis Convida, em abril do ano passado. Então não se faça de tímido, toma o rumo da BR 060 e vá viver uma experiência libertadora. Recomendo.


Fusile - "Combat Samba"

Nenhum comentário: