15 outubro 2010

Especial Planeta Terra - Holger

Holger_Ariel Martini


O Holger começou mesmo suas atividades em 2008, quando lançou o seu primeiro EP, o Green Valley. Nele, a banda mostrava suas influências que iam do folk, passavam pelo indie e aportavam no pop. Ganharam então toda a crítica do mundinho alternativo.

Não era bem essa a ideia delas, já que o grupo formado pelos Marcelos Altenfelder e Vogelaar, Pedro Longhi, Artur Brito e Beto Rolla são apenas 5 amigos apaixonados por música que queriam tocar. A pretensão não era grande, mas aconteceu e os meninos começaram a surfar na crista da onda. Lançaram o seu primeiro disco pelo projeto Álbum Virtual da Trama, que já está disponível para download desde o mês passado.

O CD, Sunga, tem invariavelmente um nome diferente e canções com um formato que não dava muito para imaginar. O Holger, nome tirado de um sueco que um dos integrantes conheceu em Of Montreal (Canadá), conseguiu misturar o indie com ritmos brasileiros.

Em “She Dances” escuta-se um tamborim, encontradas em baterias de escola de samba. Já “Genecambique” parece mesmo com os sons étnicos que ouvimos durante a última Copa do Mundo na África. E “Beaver” consegue juntar as duas coisas em uma música só! “Eagle” me lembrou bastante músicas de grupos de eletro que estão nascendo por aí, dois deles inclusive também estarão no Planeta Terra, Passion Pit e Yeasayer. A mais empolgante é com certeza “ToothlessTurtles”, que mescla tecladinhos batidos, mas superdivertidos com um refrão grudento. O engraçado é saber que o disco que é todo cantada em inglês, e que tem tantos elementos que mostram que o Holger é uma banda brasileira foi pensado por Roger Paul Manson, um gringo.
Se formos comparar com uma banda de fora, o Holger tem muito a ver com o Vampire Weekend.

O single do disco foi “Let’em Shine Bellow” que embora tenha ganhado destaque em tudo quanto é lugar, inclusive aqui no MyFavorite Way é a mais fraca do CD, mas o videoclipe é muito bom. O que é ótimo, já que as outras canções estão acima e o disco aumenta seu valor de estrelas.

No show que será no Palco HandsUp ou IndieStage, o grupo se apresenta logo após ao Hurtmold e o que se pode esperar é muita animação. Os meninos trocam de instrumentos durante suas apresentações. O que toca baixo, toca guitarra, que toca bateria, que toca banjo, que toca teclado, que toca baixo e por aí vai! E tirando pelo disco e Ep já lançados não dá para imaginar você parado assistindo ao Holger, que já teve seu show bastante elogiado. A dúvida que fica agora é: “Assistir ao Holger ou ao Of Montreal?”.

Nenhum comentário: