30 outubro 2010

Almoço em Agosto

Almoço em Agosto

O grande barato em apreciar obras cinematográficas, em especial as européias, é a chance de conhecer um pouco de determinada cultura e realidade. No caso, a película italiana, Almoço em Agosto, nos dá essa possibilidade, e mais, nos brinda com um passeio por vinhos e pela culinária daquele país.


A premissa do filme dirigido e atuado pelo genial e pacato Gianni di Gregorio (roteirista de Gomorra)  é bem simples, e a simplicidade é algo que permeia todo o filme. Começando pela sua duração, que atinge a mísera marca de pouco mais de 70 minutos, fugindo assim da “obrigação” de arrastar um filme por quase duas horas, mesmo que esse não tenha conteúdo para tanto. Giovanni (Di Gregorio), homem de meia idade, encarregado dos cuidados para com sua mãe já idosa, aceita passar o feriado de 15 agosto (Ferragosto como é conhecido na Itália), com as mães, também idosas, de alguns colegas para assim abater algumas contas que lhe afligem. É essa inversão de papéis que dá o toque minimalista do filme e monta o palco para uma comédia que tem doses suaves e precisas de humor, misturada com uma dose poderosa e mortal de realidade.

A relação entre idosos com personalidades e manias diferentes e pessoas mais novas é o grande trunfo do filme e do roteiro. Possibilitando a grande surpresa; atuações magníficas e simplórias que tocam em uma ferida que incomoda grande parte da sociedade. Tenho certeza que muita gente pode virar o rosto para o filme, já que não é uma sessão de efeitos e explosões hollywoodiano, por isso a sensibilidade se faz necessária para poder assistir ao longa. Almoço em Agosto se faz presente por sua doçura e simplicidade, em mostrar a realidade daquilo que iremos nos tornar um dia.

Nenhum comentário: