03 setembro 2010

Interpol - "Interpol"

Capa de Interpol
A cordialidade entre os integrantes do grupo nova iorquino Interpol pode não ser das melhores, já que os próprios integrantes já declararam que não são amigos uns dos outros (?). Mas em se tratando de harmonia e qualidade musical, isso não se torna problema. Em seu quarto disco, Interpol, a banda liderada pelo vocalista Paul Banks mostra sua verdadeira face, já mostrada no trabalho anterior, Our Love to Admire.

Não espere ouvi hits dançantes como “PDA” ou “Slow Hands”, ambas do primeiro e segundo disco da banda, respectivamente. Interpol permeia mais entre o lírico e o obscuro, a exemplo da música que abre o disco "Sucess". O grupo parece não ter dado importância para as críticas feitas ao trabalho anterior, que mostra a verdadeira identidade e que anda em uma linha tênue entre o post punk e por que não, os grandes hits oitentistas.

Com a saída do baixista Carlos D., após a gravação de todo o disco, entrou em cena David Pajo (músico de apoio do Yeah Yeah Yeahs) que não deixou a desejar em nada (veja vídeo).


O clima soturno do disco é confirmado em “Lights”, primeiro single da banda, enviado apenas para os fãs cadastrados (e que se cadastrassem) em seu maiiling pelo site oficial. Uma grande jogada de marketing.

As músicas que nos remetem aos dois primeiros discos, são “Barricade” (veja vídeo abaixo) e “Safe Without”, que assim como todo o CD, tem produção arrojada e limpa, característica da banda.

No geral, Interpol não funciona individualmente, mas sim, como um conjunto, que mostra o verdadeiro rumo que eles devem tomar em seus próximos trabalhos. Resta saber se isso vai agradar ou não.

Interpol - "Barricade"

Nenhum comentário: