15 dezembro 2009

Descontraída Rita

No ingresso para o show da Rita Lee haviam dois horários. Um indicando a abertura da casa e o outro o horário do show. Pecou quem viu apenas um e chegou lá cedo como eu. É, ou era de praxe, que todos os shows no Centro de Convenções começassem apenas meia-hora atrasados, isso se atrasassem. Deixando de começar às 21h para começar às 21h30. As coisas mudam, né?
Enquanto Rita Lee assistia a “novela das 8”, quem esperava do lado de fora teve que ouvir covers de MPB e Pop Rock (num volume desagradavelmente alto) e poderia consumir pelo bar.
A entrada para o teatro só foi liberada às 22h. Lá dentro, músicas instrumentais dos anos 60 e música clássica.

Marcada para às 22h30, a apresentação para a divulgação do DVD Multishow Ao Vivo Rita Lee, só foi começar às 22h55, mostrando que muito provavelmente havia acontecido alguma coisa na coxia. Vaias já eram ouvidas, quando uma música alta foi jogada e instantes depois Rita Lee subiu ao palco.

Cheio de sucessos, que foram desde “Amor e sexo” a “Doce Vampiro”, Rita mostrou que mesmo no alto de seus 64 anos está cheia de energia. Ela não consegue ficar parada um minuto. Enquanto apresentava a banda, por exemplo, andava para lá e para cá no palco, sempre fazendo uma brincadeira com os músicos. Quando foi apresentar o marido, Roberto Carvalho, disse: “E esse é o presidente vitalício da minha vida”, revelando que mesmo depois de tanto tempo, o amor ainda reina.

A cantora também mostrou que está antenada com o que está acontecendo na política do país. Quando teve a oportunidade, comentou sobre o escândalo do pagamento de propina, que seria capitaneado pelo governador José Roberto Arruda. Tirou sarro dos próximos candidatos à presidência, criticou o voto obrigatório, falou mal da novela de Manoel Carlos, elogiou a “Cinquentinha” (nova minissérie da Globo) e até brincou com Michelle, a primeira-dama dos Estados Unidos, antes de cantar “Bwana”.

Muito divertida e descontraída, Rita só pareceu se aborrecer um pouco quando ouviu um “mala maluco” gritando de lá: “Toca Raul!”. Sem perder a majestade, disse: “Sabia!” e fez uma pequena versão para “Como vovó já dizia”. Com muito humor, ela ainda falou: “Eu não sei nem cantar as minhas músicas mais e você me faz um negócio desses? Tô até com uma colinha aqui.”, se referindo as letras no palco.

Com cola, ou sem cola, o brilho de Rita Lee não seria ofuscado. Destaque para o momento em que Rita canta “Ovelha Negra” e no telão passam várias fotos dela e capas de seus tantos discos. Mesmo terminando com “Agora Só Falta Você”, o público quis mais e foi brindado no bis com “Ando Meio Desligado”, “Mania de Você, “Erva Venenosa”, “Lança-Perfume” e “Chiquita Bacana”.
Mais fotos no Flicrk.

Nenhum comentário: