22 novembro 2009

Dirty Projectors - Bitte Orca


Tendências eletrônicas, arranjos vocais sofisticados, produção caprichada, e mais alguns quesitos que chamam atenção para Bitte Orca, o mais novo disco do Dirty Projectors, projeto do músico Dave Longstreth.

As vocalistas Angel Deradoorian e Amber Coffman, dão a calmaria que contrasta com a parte agitada do disco, como na faixa “Stillness is the Move” (videoclipe abaixo), que abusa do experimentalismo, em uma mistura envolvente de vocais e instrumentos.

O disco te leva numa viagem entre indie (pop), música eletrônica, uma pitada de experimentalismo, e uma levada de rock, que sugestivamente remete ao Vampire Weekend. Não por acaso, Erza Koenig fez parte do grupo em outros carnavais. A diferença entre Bitte Orca e o anterior Rise Above (Dead Oceans, 2007) é percebida de cara. No álbum anterior, Dave escolheu onze faixas do disco Damaged do Black Flag para dar uma cara nova a cada uma. Em Bitte Orca, a autoria é completa e a estrutura da banda com seus seis integrantes, é máxima. Dave acerta a mão em um disco de nove faixas, com pouco mais de trinta minutos.

Referências é o que não faltam ao disco. Encontramos pitadas de Of Montreal na faixa “Useful Chamber”. E uma garimpada no som parecidíssimo com os conterrâneos do Animal Collective e seu Merriweather Post Pavilion (2009). Não é a toa que o álbum é lançado pela Domino Records, a mesma do Animal Collective, e ainda, do Franz Ferdinand.

O Dirty Projectors é uma das atrações do 15° Festival Goiânia Noise e toca no sábado, dia 28 de novembro. Veja a programação no site


Stillness is the Move

Nenhum comentário: