17 julho 2009

CJ Ramone

Eu e Marcos Pinheiro terminamos o Cult 22 mais cedo na última sexta-feira, dia 10, para conseguir chegar a tempo ao show do CJ Ramone.

Enquanto tentávamos estacionar o carro, CJ gritava no palco: “1,2,3,4!”. Era mais ou menos 0h15. O show percorreu bem até uma hora. O local estava cheio (para não dizer entupido). Havia cerca de 2 mil pessoas, que se apertavam para assistir ao show de tributo a um dos quartetos mais importantes da história do rock.

As músicas percorreram os maiores sucessos, como “Blitzkrieg bop", “I wanna be sedated”, “Sheena is a Punk Rocker” e até “R.A.M.O.N.E.S” do Motorhëad entrou na lista.

O palco foi montado na parte interna no Arena. Quem conhece o local, já deve imaginar como estava a situação na platéia. Os ânimos exaltados queriam a cada vez estar mais perto do ídolo, o que deixava as pessoas na frente muito apertadinhas na grande de proteção. O clima entre os seguranças do local, era visivelmente de apreensão. Duas pessoas conseguiram subir ao palco, mas nenhuma com a intenção de abraçar os integrantes da banda. Saíram do meio da multidão apenas porque ficou insuportável estar lá. E usaram o palco como meio de escapar do empurra-empurra.

Isso não tiraria dos presentes a alegria de ver ao vivo um tributo feito por um dos ex-integrantes dos Ramones a sua banda. Mas acabou tirando a paciência de Daniel Rey, ex-produtor do grupo e que empunhava uma guitarra no trio aquela noite. Por um instante, ele chamou o segurança, falou alguma coisa no ouvido, apontou para o setlist, que estava numa das caixas de retorno e esperou. O show estava parado. O segurança tenta fazer alguma coisa, mas...Não se tem muito o que fazer, a não ser pedir para a galera que estava atrás recuar um pouco e desapertar o pessoal da frente.

O show continuou. Eles tocaram uma música e saíram do palco. Voltaram, Daniel com um novo setlist na mão.Tocaram três músicas, agradeceram e foram embora. O show que deveria ter durado cerca de 2 horas, acabou em 1 hora e 10 minutos. Muito frustrante para quem não pagou lá muito barato para estar ali aquela noite. Uma pena não poder aproveitar mais.

Ficamos sem foto, quem quiser mandar já sabe o nosso e-mail: dropscultural@gmail.com

Nenhum comentário: