09 abril 2009

X Móveis Convida - o que rolou


Eram mais ou menos 4 horas da tarde quando começou a chover em Brasília. Eram 4 horas da manhã e ainda chovia na capital federal. E mesmo com toda essa chuva, o Centro Comunitário da Unb, local onde se realizou o X Móveis Convida estava lotado.
Os primeiros a subirem no palco aquela noite, foram os goianos do Black Drawing Chalks, que tocaram para ma platéia ainda tímida. Mesmo assim conseguiram animar a galera com seu rock cru e cantado em inglês.

Depois vieram os brasilienses do Galinha Preta, que com toda a sua irreverência, com certeza conseguiu agregar mais fãs à banda. Os cuiabanos do Macaco Bong já subiram ao palco prestigiados. A banda que teve o seu CD, Artista Igual Pedreiro, em várias listas de "Melhores de 2008", teve uma das melhores aceitações da noite, com a galera vibrando junto com o trio.Mas a noite era mesmo do Móveis Coloniais de Acaju. Quando subiram no palco o grupo foi super aplaudido mostrando o quanto aquele momento estava sendo aguardado.

Marcado para começar a meia-noite, o show sofreu uma hora de atraso e nem por isso encontrou o público menos animado. Com o novo CD, C_MPL_TE, os meninos abandonaram os ternos e agora usam camisetas coloridas, cada um com uma cor. O cenário também ganhou cor e baldes iluminados deram o tom. O telão teve problemas e não funcionou direito em nenhum show, mas isso não tirou o brilho da noite.

A música escolhida para abrir a apresentação foi "Cão Guia" que está no novo CD. Impressionante foi ver muita gente cantando as músicas novas em coro. Claro, que o coro foi muito mais forte quando eles tocaram músicas do Idem, o primeiro disco. Entre elas, "Copacabana", que sempre traz a tradicional roda. Os meninos se arriscaram e foram para o meio da galera para dançar junto.

Outro ponto alto do show foi quando Renato, ex-baterista da banda subiu ao palco para se despedir da galera. Nada melhor do que fazer isso tocando. Ele e o novo baterista, Gabriel Coaracy (que fazia parte da banda Bois de Gerião), alternaram-se na bateria durante todo o show. E a galera gritou em peso quando André, vocalista da banda, chamou ao palco o ex-integrante.

A apresentação ainda teve direito a pausa para deixar aquele gostinho de quero mais. No bis, eles voltaram ao palco para tocar "Indiferença", "Seria o Rolex?" e "Adeus", que não poderia ter finalizado melhor a noite.

Foto: Rafaella Tamn
Texto publicado também no Bloody Pop.

2 comentários:

Roberto disse...

Nossa, eu que ia em muitos shows do móveis...e agora estou tão distante, fiquei até emocionado lendo o que vc escreveu alê...arruma um vídeo de copacabana que eu acho que choro!!!
ahauhauhauhauha
beijo...muito bem escrito!!!

gshgsh disse...

Como eu queria ir num show do Móveis aqui em PoA! Eles vieram pela primeira vez ano passado, mas no meio das férias, nem pude ir! :/