30 abril 2009

Videoclipe - Green Day

Billie Joe Armstrong e sua trupe acabaram de disponibilizar o novo videoclipe de seu ainda não lançado disco 21st Century Breakdown, que sairá no próximo mês.

Know Your Enemy



Percebe-se a velha e boa cara do Green Day anterior ao badalado American Idiot.

28 abril 2009

Videoclipe - Morrissey

O Morrissey soltou mais um videoclipe.

Morrissey -Something Is Squeezing My Skull

Placebo - Single e Clipe

Fazer muitas coisas ao mesmo tempo sempre nos deixa meio atordoados. Foi assim que dei a notícia do notícia do novo single do Placebo apenas no Cult 22, no quadro Mundo Rock. O single, "For What It's Worth" ainda está disponível para download no site oficial da banda. O videoclipe da mesma música você pode acompanhar logo mais abaixo.

For What It's Worth

Nova música do Of Montreal

Vocês já escutaram? A gente tá meio sem escrever por aqui.


Coquet Coquet

23 abril 2009

Yeah Yeah Yeahs - It's Blitz!

Como vocês já estão cansados de saber, o lema deste blog é "Antes tarde do que nunca". Lema que eu levo também para a minha vida pessoal. E como prometido por aqui, a cá estou para falar do novo disco do Yeah Yeah Yeahs.

Seguindo a tendência das bandas que trocaram as suas guitarras por sintetizadores, o Yeah Yeah Yeahs lançou o seu terceiro disco It's Blitz! dia 31 de março. Antes mesmo de sair, a expectativa sobre este novo trabalho já era grande e a tão comentada capa de It's Blitz! foi parar em uma série de blogs e sites sobre música. Foi nesse meio de espera para o lançamento do CD que sem mais nem menos, ele foi parar na internet. O download clandestino não agradou nem um pouco a vocalista do YYY, Karen O. Mas, já está na hora das bandas esquecerem o modo antigo de lançar CD e curtirem tudo o que a internet pode trazer de bom.

It's Blitz! tem faixas que facilmente podem parar na pista de dança, como o single "Zero" e "Heads Will Roll". Encontra um clima mais sombrio nas faixas "Skeletons" (não preciso explicar) e "Dull Life". E pasmem! Ainda tem espaço para a elemento pop, "Hysteric", "Soft Shock" e "Little Shadow" (faixa mais lentinha).

O Cd foi produzido por Dave Sitek (do TV on the Radio) e Nick Launay (Arcade Fire, Talking Heads). Homens de responsa, diga-se de passagem, e por mais que tenha toda esta pompa, não me agradou. Se você escutou "Zero" e gostou, nem precisa escutar o resto do disco, pois o single não representa o que você espera de It's Blitz!.

22 abril 2009

Mundano Rock Fest ou show do Forgotten...Quem?

Mesmo com o filho do Renato Russo, Juliano Manfredini por trás da produção do 1° Mundano Rock Fest, e com o Forgotten Boys como atração principal da noite, o Arena Futebol Clube ficou vazio na noite do dia 11 de abril. Conversando com um amigo, descobri que muita gente foi mesmo para a discotecagem do Indiecent lá no Landscape.
Com atraso de mais de uma hora, a primeira banda a subir ao palco foi a brasiliense Lovelace, que embora faça um som bacana peca por sua apresentação beirando ao que chamamos de "pôser". O Illustra que há pouco lançou o seu primeiro CD no Espaço Galeria (Conic) não faz o meu tipo de banda, portanto fica a dica para vocês escutarem. O mesmo para os paulistas do Ecos Falsos. A minha expectativa era grande sobre o grupo, que não me agradou nem um pouco.
O High High Suicides apresentou sua nova formação. Saiu a guitarrista Bianca Martim dando espaço para Gustavo Bill. O agora quarteto masculino ainda está precisando de mais entrosamento com o novo guitarrista e sofreu com uma baixa no repertório, quando a Lovelace resolveu cantar "I Wanna Be Your Dog" do Stooges em seu show. A música foi cantada (com a participação de alguns integrantes do Lovelace) e ainda tornou a ser tocada na discotecagem da noite.
Johnny Suxx and the Fucking Boys mesmo com seu estilo totalmente glam foi a banda surpresa da noite. Não imaginei nenhuma daquelas guitarras e baterias, e nem um pouco daquela qualidade sonora.
O Forgotten Boys fez um show curto e a desculpa foi o pouco tempo para os ensaios das músicas com os novos integrantes. Como a gente já falou aqui, entraram na banda um percussionista e um tecladista, depois da saída do Chuck. A curiosidade de saber o que o rock cru e simples do Forgotten Boys tinha virado foi a grande mola propulsora da minha cara de pau em pedir carona para um amigo que estava saindo do trabalho naquele sábado. A sonoridade da banda não apresentou tanta mudança como o imaginado. A percussão poderia até sair da banda, os teclados deram aquele tom de nova banda indie (já percebeu que eles adoram tecladinhos?) e caíram muito bem, obrigada!

20 abril 2009

Videoclipe - Fleet Foxes

Ah, gente! Vocês tem que entender que amanhã eu não estarei na internet e que a gente ficou um tempão sem atualizar esse negócio aqui, né?


Mykonos

Móveis Convida X - videozinho

Opa! A gente apareceu por lá, mas não teve como gravar aquele vídeo de qualidade. Estava esperando um "Visitando a Cena" do Trama sair, mas como tem um amigo que foi para as bandas da Argentina me pediu um vídeo, achei justo postar para todo mundo.



Roubei do Bloody Pop. (Tô no meu direito, né não!?)

Sonic Youth solta single

O Sonic Youth soltou hoje o primeiro single do The Eternal, próximo disco da banda. Basta entrar no site da gravadora, a Matator Records, para baixar gratuitamente "Sacred Trickster".
The Eternal está com data prevista para 09 de junho.

Videoclipe - Depeche Mode

O Depeche Mode vai lançar apenas amanhã o Sounds Of the Universe, mas com essa era "internética" está ficando difícil fazer com que um álbum não vaze na internet antes. Para ajudar nessa divulgação, o grupo resolveu soltar o videoclipe do single "Wrong", que você pode assistir aí embaixo:



Ainda tá pensando em fazer alguma coisa errada? Se liga, playboy!

17 abril 2009

Videoclipe - Moby

Mais um videozinho para hoje. Por um acaso vocês viram a animação que o David Lynch fez para o novo clipe no Moby? A música estará no próximo disco do carequinha, Wait For Me (nome de disco de namorados que vão ficar distantes por um tempo, né?). A música também pode ser baixada gratuitamente no site oficial do Moby.

Frase do dia

"Eles riem de mim, porque sou difrente. Eu rio deles porque são todos iguais"
(Kurt Cobain - 20 fevereiro 1967 a 5 de abril de 1994) 

Caê e seu novo disco

Caetano iria fazer seu primeiro show para lançar Zii e Zie aqui em Brasília, no dia 16 de maio. Entretanto, o baiano nos trocou pelo Rio de Janeiro. Eu só o perdôo, porque dizem que o Rio é muito bonito.

Se você ainda não baixou este CD, que eu estou aqui ouvindo repetidamente, clique bem aqui. Assim que formos ao show, falaremos do disco e claro de como foi por lá. 


Foto retirada do site oficial. 

Videclipe - M. Ward

Olha o M. Ward fazendo cover do Buddy Holly. A música estará no próximo disco do cantor e compositor. Confere aí:

Rave On

15 abril 2009

Entrevista - Instiga

Topamos com o novo CD do Instiga, Tenho Uma Banda, e a curiosidade sobre a banda tomou conta de nós. Além de pesquisar um pouco sobre eles, resolvemos fazer uma entrevista com eles. O vocalista da banda Christian Camilo topou conversar com a gente e aí embaixo vocês encontram o resultado.

Drops Cultural: A banda já tem seus 8 anos de vida e nesse tempo sofreu alguma mudança de integrante? E no som de vocês? Quais foram as grandes mudanças?

Christian Camilo: A banda passou por algumas mudanças, aliás, em cada disco a formação teve uma diferença. Em 2004, após gravar o Máquina Milenar, o Guilherme Molina deixou o grupo para se dedicar ao curso de Engenharia e nessa convidei o Gabriel Duarte para se juntar a mim, ao Heitor e ao Pedro. Produzimos nessa formação o Menino Canta Menina e os primeiros esboços do Tenho uma banda (este terceiro gravamos e produzimos a maior parte em trio, o Heitor foi para a Bélgica no início de 2008 e sua participação na produção foi por email...)
Heitor voltou da Bélgica, mas ele não seguiu como ‘titular’ no Instiga... Às vezes ele aparece nos shows, mas anda estudando e trabalhando muito na pós de Economia...
A formação atual , que tem ido fazer shows conta comigo na guitarra, Gabriel Duarte no baixo e efeito, e Sérgio Lombardi na sanfona e bateria.

Drops Cultural: Como que vocês definem o som de vocês? E quais as principais influências da banda?

CC: Estamos dentro do rock. Acho que dentro do que chamam de ‘indie’. As principais influências são bandas de rock alternativas. Escutamos muita coisa diferente e isso incluí até compositores eruditos....

Drops Cultural: A Instiga foi a primeira banda sul-americana a entrar na programação da rádio Woxy. Vocês têm idéia de como isso aconteceu?

CC: Sim, na verdade eu mesmo mandei um e-mail pra rádio falando “olha, tenho uma banda...”. Eles gostaram e tocaram...simples!

Drops Cultural: Vocês também participaram do "The Next Big Thing", concurso da BBC, que leva as bandas para se apresentarem em Londres. A sensação de ter passado pelo crivo da rádio deve ter sido ótima. Mas contem para a gente um pouco dessa experiência. Vocês sabem se também conseguiram entrar na programação deles?

CC: Não sei muito bem o que isso gerou. Um dos produtores do ‘programa’ disse que havia discotecado numa noite (me mandou por email isso).
Foi muito empolgante participar do concurso, mas ao mesmo tempo, isso pode ser um pouco estressante para bandas inexperientes.

Drops Cultural: As músicas de vocês são muito irreverentes. Da onde vem a inspiração?

CC: Vem de coisas que gostamos, de idéias que inicialmente parecem distantes da música como um filme, uma situação cotidiana... Poderiam ser como ‘tirinhas’ em formato de música.

Drops Cultural: O último CD de vocês, Tenho uma banda (2008) está na internet para download gratuito. Por que a escolha de fazer um lançamento independente? Vocês acham que assim ganham mais liberdade?

CC: Lançar independente foi a estratégia possível. Temos mais liberdade e vislumbramos um retorno a longo prazo. Nossa música felizmente está acessível para ser a ponte entre a banda e seu público.

Drops Cultural: O download gratuito com certeza ajuda na divulgação da banda, mas quais as medidas vocês tomaram para divulgar o download?

CC: A principal foi ter ‘em conta’ algumas informações das pessoas que baixaram a discografia da banda. Eelas se cadastram no site e assim vamos ampliando nossa rede de relacionamento.

Drops Cultural: Como se manter tanto tempo no meio independente? Vocês podem dar algumas dicas para as bandas que estão começando?

CC: Invista no seu trabalho, se dedique a ser um bom compositor, um bom músico. Aprenda com seus erros e experimente sempre novas atitudes, novas propostas de show, de evento.
Quanto mais experiência e habilidade você conseguir ter, mais facilidade terá para se manter de música podemos citar muitos trabalhos possíveis: eventos, shows, gravação, ensaios, design, produção , clipes, fotografia, atividades profissionais que existem e atendem um nicho que cresce muito rápido no Brasil.

Drops Cultural: Agenda. Onde o Instiga vai tocar por agora? Alguma pretensão de vir à Brasília?

CC: Pretensão sim. Estivemos em Brasília no festival El Mapa de Todos ano passado. Quem sabe apareça algo em 2008.. Seria ótimo! Temos shows em São Paulo em abril e em Campinas em Maio. Estamos tocando bastante pelo estado de São Paulo por hora.

Fique agora com o último videoclipe da banda, "Aquela da Cachorrinha":



Lembrando que o Instiga é a atração do Cult Brasil, dentro do programa Cult 22. Como vocês já cansaram de saber, o Cult 22 vai ao ar todas às sextas-feiras, de 22h a 1h da manhã na Rádio Cultura Fm (100,9 MhZ).

Entrevista publicada também no Bloodypop.

14 abril 2009

"Zero" por Animal Collective


O single "Zero" dos nova-iorquinos do Yeah Yeah Yeahs ganhou um toque experimental na mão dos também americanos do Animal Collective.

O remix pode ser ouvido aqui.

Escute e tire suas próprias conclusões. Eu achei chato pra *a*a*ho.

10 abril 2009

Muito calor e rock and roll

Depois de muito esperar pelas fotos do show do Moptop, dia 28 de março no Landscape, resolvi divulgar o texto antes do dia 28 de abril com fotos encontradas da internet. Se por um acaso eu receber as fotos, a gente põe por aqui, como fizemos com o Cuca de Copas.


Como vocês sabem, o Grito Rock, que iria acontecer em fevereiro foi adiado para março, devido ao fechamento do Landscape, lugar onde iam acontecer os shows. A gente acompanhou o dilema, e inclusive até torceu para que o evento não fosse cancelado. O Blackout que era a segunda opção da produtora (Torneira Produções), também fechou suas portas para o rock and roll.
Conversando com André Morale, um dos membros da produtora, a justificativa para o show rolar no Landscape era a falta de espaço. É certo que Brasília não tem um único local para show médio. Um problema para os produtores da cidade, mas levar o Moptop para o minúsculo Landscape não foi muito apropriado. Além de pequeno o local está sem refrigeração adequada. Falta um ar-condicionado potente no local onde se realiza os shows. De acordo, com Fagner, um dos sócios da casa, só depois deste show, é que eles terão verba para comprar os tais. Com o fechamento do local, eles tiveram que gastar uma grana extra para as novas "recomendações" judiciais.

A noite estava recheada de shows. A segunda banda (e a primeira que eu consegui ver, já que cheguei atrasada) foi o Tiro Williams, que teve um pequeno problema com um vocal baixo. Depois vieram Rainha Vermelha, Brow-Há e The Pro. A última também sofreu com o mesmo problema do Tiro, mas que foi resolvido no decorrer do show. A banda foi uma das mais festejadas na noite. Com certeza havia amigos no meio do público.

O Moptop subiu ao palco às 2h15 da manhã para mostrar seu novo trabalho, Como se comportar, que saiu final do ano passado, pela Universal. Eu não falei deste disco aqui, pura e simplesmente, porque não havia gostado. Porém, ouvindo com mais calma, percebi mesmo o quanto os meninos melhoram, não só musicalmente, como "letralmente". Mas ainda sim, eles continuam a ser chupadores de guitarras. Exemplo de "Contramão", primeira música cantada por Gabriel no show, que tem muito de Titãs, em sua "Sonífera Ilha".

Assim, como todas as outras bandas, o Moptop sofreu com o calor. O baterista Mario pediu algumas vezes para que o ar-condicionado fosse ligado. Detalhe: ele estava ligado(!!!). Rodrigo (guitarrista), até brincou quando disse: "Desculpa aí...pelo calor!". E isso, claro, afetou o show. Gabriel parecia sério e a impressão que se teve é de que ele apenas deu "Boa Noite!", porque tiveram que parar antes da segunda música, pois faltava uma rosca na bateria. Depois da parada: "Uma Chance", música do primeiro disco.

O show foi bem balanceado. Tiveram músicas dos dois discos, com ênfase, claro, para o segundo, que foi quase tocado inteiro. Com um pouco mais de uma hora de duração, os presentes, que resolveram acompanhar o show até o fim (muita gente foi embora antes mesmo do show dos cariocas), ganharam bis e teve até Ramones! Como revelou Gabriel, música que eles não tocavam há tempos, mas que merecia ser tocada naquele "inferninho" (literalmente).

Mostrando muito entrosamento. Brincadeiras internas. Risadinhas. Bejinhos mandados por pura zuação. O Moptop fez um grande show apesar das adversidades da noite. E viva ao rock que prevaleceu.
Texto publicado também no site Rock Brasília.

10 horas no Estúdio da Trama

Tava passando por aí e encontrei no Meio Desligado o Nuda no 10 horas no Estúdio da Trama. A música "Maruimstad" está disponível para download no perfil deles na site Tramavirtual.

09 abril 2009

X Móveis Convida - o que rolou


Eram mais ou menos 4 horas da tarde quando começou a chover em Brasília. Eram 4 horas da manhã e ainda chovia na capital federal. E mesmo com toda essa chuva, o Centro Comunitário da Unb, local onde se realizou o X Móveis Convida estava lotado.
Os primeiros a subirem no palco aquela noite, foram os goianos do Black Drawing Chalks, que tocaram para ma platéia ainda tímida. Mesmo assim conseguiram animar a galera com seu rock cru e cantado em inglês.

Depois vieram os brasilienses do Galinha Preta, que com toda a sua irreverência, com certeza conseguiu agregar mais fãs à banda. Os cuiabanos do Macaco Bong já subiram ao palco prestigiados. A banda que teve o seu CD, Artista Igual Pedreiro, em várias listas de "Melhores de 2008", teve uma das melhores aceitações da noite, com a galera vibrando junto com o trio.Mas a noite era mesmo do Móveis Coloniais de Acaju. Quando subiram no palco o grupo foi super aplaudido mostrando o quanto aquele momento estava sendo aguardado.

Marcado para começar a meia-noite, o show sofreu uma hora de atraso e nem por isso encontrou o público menos animado. Com o novo CD, C_MPL_TE, os meninos abandonaram os ternos e agora usam camisetas coloridas, cada um com uma cor. O cenário também ganhou cor e baldes iluminados deram o tom. O telão teve problemas e não funcionou direito em nenhum show, mas isso não tirou o brilho da noite.

A música escolhida para abrir a apresentação foi "Cão Guia" que está no novo CD. Impressionante foi ver muita gente cantando as músicas novas em coro. Claro, que o coro foi muito mais forte quando eles tocaram músicas do Idem, o primeiro disco. Entre elas, "Copacabana", que sempre traz a tradicional roda. Os meninos se arriscaram e foram para o meio da galera para dançar junto.

Outro ponto alto do show foi quando Renato, ex-baterista da banda subiu ao palco para se despedir da galera. Nada melhor do que fazer isso tocando. Ele e o novo baterista, Gabriel Coaracy (que fazia parte da banda Bois de Gerião), alternaram-se na bateria durante todo o show. E a galera gritou em peso quando André, vocalista da banda, chamou ao palco o ex-integrante.

A apresentação ainda teve direito a pausa para deixar aquele gostinho de quero mais. No bis, eles voltaram ao palco para tocar "Indiferença", "Seria o Rolex?" e "Adeus", que não poderia ter finalizado melhor a noite.

Foto: Rafaella Tamn
Texto publicado também no Bloody Pop.

Escolha a sua praia

Não viajou no feriadão e vai ficar sem fazer nada? Não por nós aqui do Drops Cultural. Este sábado, por exemplo, está cheio de coisas legais para se fazer, basta vocês escolher.

Começamos com o 1° Festival Mundano Rock Fest, que vai trazer os nossos queridos Forgotten Boys. Eu havia comentado por aqui e falei que iria dar mais detalhes. Portanto lá vai, além dos paulistas o festival contará com as bandas Ecos Falsos (SP), Johnny Suxxx and the Fucking Boys (GO), High High Suicides, Illustra, Avante Bravo e Lovelace (todas as quatros últimas daqui de Brasília).
Os show começam às 21 horas e os ingressos custam R$ 10,00 (até 23h) e R$ 15,00 (após). Vale a pena para ver o que os Forgotten estão fazendo com um novo percussionista e com o um tecladista. Estou curiosa!

No mesmo dia, às 23 horas o Gate's Pub será palco de mais uma Noite Senhor F. As bandas escolhidas para animar a noite foram as brasilienses Watson, Phonopop e Deus da Kaaba. Os ingressos custam R$ 12,00.

E mudando um pouco de som, a nossa dica é conferir Buguinha Dub e a Vitrola Adubada lá no subsoloso do Balaio Café. A noite ainda conta com os DJs Negoedmundo (RN), Rosa Ferraz (GO), Montana, Telmo & Anselmo e Smash Bros. Os ingressos custam $ 10,00 (R$ 5,00 até 23h na lista amiga para btroyale@gmail.com).

Já domingo, a dica é aparecer lá no Landscape Pub para conferir o show dos cariocas do Canastra, que há tempos não pareciam aqui na cidade. A última vez (se não me engano) foi no Porão do Rock. Os ingressos custam R$ 10,00 (para as 50 primeiras pessoas que chegarem) e R$ 15,00 (após). Detalhe: entrada franca para as mulheres até 21h.

Aproveitem! Motivos para ficar em casa você não tem nenhum!

The Kooks no Brasil


E a próxima atração estrangeira a pisar em solo brasileiro serão os ingleses do The Kooks. O quarteto chega ao Brasil para um show no dia 19 de Junho no Via Funchal, em São Paulo e os ingressos começam a ser vendidos a partir do dia 14 desse mês.

Por enquanto não há outras datas marcadas, mas isso não é tão difícil de acontecer, já que o grupo deixou de vir ano passado onde tocaria no Rio de Janeiro no festival Indie Rock.

Os ingressos vão de R$ 140,00 (pista) a R$ 200,00 (pista vip e camarote), mais informações no site www.viafunchal.com.br

06 abril 2009

Baixe o novo do Nacy!

Eu comentei aqui e agora já está liberado. Desde essa manhã você já pode baixar Chora, Matisse!, novo disco dos brasilienses da Nacy.

Vamos ouvir?

02 abril 2009

Vote na gente!


Depois de virar destaque no site/rádio Cotonete, o Drops Cultural agora está participando da votação que escolhe o melhor blog do mês.

Vote na gente!!!!

Videoclipe - Black Lips

Esses dias estava conversando com um amigo que foi tocar lá naquele festival do Texas ( o Dreduardo, baterista do Nancy, que lança seu Cd semana que vem, dia 06), e ele veio me contar o quanto o Black Lips é legal. De acordo com ele as músicas são todas muito parecidas, mas o show é muito, muito, muito bom. Dá uma olhada aí nesse vídeo e vê se você concorda com ele.

Cibelle mostra músicas novas

Com um macacão totalmente colado no corpo, algo parecendo um tapete verde pendurado à cintura, que ela chamou de saia, uma pochete, uma blusa de frio preta e com algo parecendo uma peruca rosa no capuz, além de pulseiras e muitos colares, entrou no palco Cibelle.

A cantora brasileira, radicada em Londres veio à primeira vez em Brasília pelo projeto Belas 2, para mostrar o show de seu terceiro CD. Na verdade, a idéia era fazer um apanhado de toda a sua carreira, mas como ela comentou após o show, numa pequena conversa que tivemos, eles se empolgaram tanto, que acabaram tocando um monte de música nova. Eles: ela e os caras do Cidadão Instigado, que estão a acompanhando. Poucas mesmo foram as músicas "velhas". Tivemos o prazer de escutar "Green Grass", música de Tom Waits, que ela gravou em seu segundo disco, The Shine of Dried Electric Leaves (2006). "London, London", que é uma versão da música de Caetano Veloso, que ela canta originalmente com Devandra Banhart. "Arrête Là Menina", "Instante de Dois", que ganhou levadas rocks e "Cajuína", as duas últimas no bis.

Mostrando uma grande desenvoltura, Cibelle acabou não agradando a todo o público, que era até bem diversificado. Indo de pessoas que conheciam o seu trabalho (e inclusive mostraram isso em suas roupas), até pessoas que nunca tinham ouvido falar da cantora. Essas sim, devem ter se retirado do teatro.

Diferente do que se ouviu em seus primeiro CD, o homônimo Cibelle (2003) e do segundo, agora Cibelle virá com um trabalho muito mais eletrônico. No show, ela mesma começa a montar as músicas com seus sintetizadores e toda uma "parafernália" eletrônica. Algumas vezes a sua voz lembra Björk, algumas vezes nos remetem ao Cansei de Ser Sexy (não gosto de chamá-los de CSS), em outras, a Naná Vasconcelos. De acordo com Cibelle, o novo Cd sai em setembro. Agora é esperar para ver, ou melhor, escutar.

O Belas 2, projeto do Espaço Brasil Telecom que aconteceu no ano passado com o nome de Belas da Vez, ainda terá mais cantoras. Dia 4 de abril é a vez de Mariana Aydar (que como dissemos, foi a voz que faltou ano passado). Dia 10, será a vez de Silvia Machete, no dia seguinte, dia 11 de abril teremos Mariana de La Riva (de volta ao projeto). Dia 17 é a vez da bela Nina Becker e por fim, apenas em maio, dia 16, chega à Brasília a sambista Teresa Cristina. Os ingressos custam R$ 20,00 (meia) e os shows começam pontualmente às 21h.

Fotos: Paulo Negreiros

01 abril 2009

Wolfmother is back!

Eu fiquei muito triste quando descobri que o Wolfmother tinha acabado. Eles são responsáveis por um dos melhores discos que eu ouvi em 2006, Dimesions. Muitas guitarras nervosas e vocais viscerais.

Mas 2009 é um ano de grandes notícias e eis que o trio resolveu voltar a ativa e escalaram mais um integrante para o grupo. No site oficial dá para baixar o primeiro single do próximo trabalho, "Back Around".

Eu já baixei!

Videoclipe - Peter Bjorn and John

Eu não consegui gostar desse novo Cd do Peter Bjorn and John. "Young Folks" é tão legal, né?


Lay It Down