03 março 2009

À Sombra dos Los Hermanos


Foi em 1997 que os Los Hermanos estouraram com o sucesso chamado "Anna Júlia". O videoclipe foi parar na MTV, vivia entre os 10 primeiros da programação e era protagonizado pela ainda iniciante Mariana Ximenes.
A letra da música não poderia ser mais tocante. Um cara que fora trocado por outro que não iria amar a Anna Júlia tanto quanto ele amaria. Um hit adolescente e um sucesso certeiro, afinal, quem nunca sofreu por amor?
Mas... Não era bem isso que os barbudos (e o então sem Barba, Rodrigo Barba) queriam. Depois do homônimo primeiro CD, o quarteto foi mudando o seu som. Deixaram o primeiro disco de lado, o mais adolescente, doloroso (de amor) e rock, para aos poucos irem inserindo letras mais maduras e toques de MPB. Eles foram para O Bloco do Eu Sozinho (que seria e deveria ter sido o primeiro disco deles), partiram para o Ventura (o melhor disco da carreira, por ser o mais equilibrado) e chegaram ao mais experimental, "MPBista" e tranquilo (com alguns toques "rocks" que devem ter vindo de Rodrigo Amarante) 4.
Nadando contra a maré, os Los Hermanos conseguiram com o passar dos anos agregar mais fãs a sua família. Sendo assim, eles influenciaram toda uma geração de pessoas como eu e você que gostamos hoje de indie, pop, rock, MPB, música boa em geral.


Ao Vivo - O Vencedor

Raros são os grupos que tocam alguns dos estilos citados acima e que nunca tiveram nenhuma influência do quarteto carioca.
Mesmo que a influência venha dessa fonte, as bandas indies brasileiras de hoje também beberam de outras bebedouros para construírem seu som. Algumas, claro, parecem apenas "covers" e não merecem mérito algum.

É por tudo isso, que quando vou a algum show, acho tão injusto quando alguém diz: "Mas isso é Los Hermanos". O engraçado foi ouvir esta mesma "crítica" para um cara que fazia/faz parte do grupo. Quantas vezes não ouvimos, por exemplo, que o Little Joy tem influências dos Los Hermanos. Ou que eles são uma cópia do Strokes? Mas será que se as músicas do Little Joy fossem tocadas pelos Strokes, os fãs e a crítica iriam gostar tanto? Será que iria convencer? Ou será que seria melhor que os Los Hermanos tocassem as músicas? Aposto que até Marcelo Camelo deve ter ouvido que seu projeto solo tem um "quê" de Los Hermanos (e tem mesmo, basta ouvir o último Cd deles).

A outra boa crítica é "Mas o cara faz um projeto paralelo para tocar a mesma coisa que tocava na banda dele". O The Last Shadow Puppets é um bom exemplo. Projeto paralelo do vocalista da banda Artic Monkeys, Alex Turner, não há como dissociar o Last Shadow da banda de origem do cantor, embora ele tenha uma linha mais anos 60.

Pergunto-me se toda banda nova tem que revolucionar a música e trazer novos ritmos, estilos, sons, misturas. Esta não é uma defesa a mesmice, porém não creio que só por ter influência de uma ou outra banda e trazer isso no som um grupo tenha menos mérito do que outros que estão no mercado.

Nenhum comentário: