06 março 2009

Nuda

O Nuda é uma das bandas pernambucanas que mais tem chamado atenção no mundo independente nos últimos tempos.

Formado por Rapha (guitarra e voz), Henrique (baixo), Arthur Dossa (Guitarra e violão) e Scalia (bateria e percussão), a banda faz um som é auto-intitulado jungle-tangle-mangel, que nada mais é do que uma mistura de jazz, bossa-nova, MPB, samba, carimbó, rock, experimentações e eu ainda acrescentaria maracatu. Uma miscelânea de sons, diga-se de passagem.

E é neste ponto que podemos criticar a banda. Em meio a tantas influências, os meninos parecem que querem agradar a todos, mas correm o risco de não agradar a ninguém. No repertório há músicas mais samba, outras mais indie, outras que misturam guitarras mais pesadas com percussão, tornando a banda um pouco difícil de ser digerida na primeira audição.

Eles estão fazendo muito shows por aí e um dos motivos é por fazer parte do Lumo, coletivo do Circuito Fora do Eixo, que ajudou os meninos a viajar por aí.Eles estiveram em Brasília no mal divulgado Todo o Carnaval tem seu fim, que rolou lá no Landscape Pub, na terça-feira de carnaval, dia 24, onde também tocaram Tiro Williams (numa apresentação cheia de contra-tempos, mas nem por isso ruim), O Garfo (também de Pernambuco) e os brasilienses do Monovida (banda que eu ainda não parei para escutar).

Estamos falando do Nuda, porque eles são a atração do Cult Brasil hoje, dentro do programa Cult 22, que como vocês já sabem, vai ao ar todas as sextas-feiras, de 20h à 1h da matina tocando muito rock, lá na rádio Cultura Fm, 100,9 MhZ.

Nenhum comentário: