10 dezembro 2008

Festival Cuca de Copas

Estava esperando as fotos da produção. Recebi algumas, mas faltou do show do Autoramas e Matanza. O festival foi um repeteco do Porão do Rock, mas shows desses cariocas são sempre imperdíveis. O Gonorants melhorou bastante, mas poderia ter feito um show bem melhor.O grande incoveniente da noite foi o público. Lê aí!

Antes de ser transformar no Festival Cuca de Copas, o festival era apenas o show de lançamento do primeiro Cd da banda Gonorants. O negócio é que o projeto foi crescendo e trouxe bandas de fora, as cariocas Matanza e Autoramas. Além delas, foram convidadas as brasilienses Gilbertos Come Bacon, High High Suicides e Super Stereo Surf. Essa última cancelou o show no dia, pois um de seus integrantes passou mal.

A noite começou atrasada com os Gilbertos subindo ao palco às 22h40. O público ainda era mirrado, mas isso não iria atrapalhar o show do grupo, como não atrapalhou na segunda noite do Porão do Rock. A mistura de ritmos africanos, brasileiros, rock e rap animou os presentes.

Com um rock sujo e meio punk, entraram o palco os High High Suicides. O grupo fez um show curto, com cara de "tapa buraco". Eles se alternaram entre músicas cantadas em inglês e português. O ponto alto aconteceu quando o vocalista André Morale, gritou: "Quem gosta de sexo aí?", uma introdução para "Sex Games".

Foi durante o show do High High Suicides, que o grade que separava o público do palco mostrou que talvez não agüentasse até o final dos shows.

A banda que deu seqüência a noite foi a convidada, Autoramas. Liderada por Gabriel Thomaz (ex-Little Quail), o Autoramas tocou músicas de seus últimos trabalhos e não mostrou nada novo. O que aconteceu no Porão do Rock deste ano, quando se apresentaram lá, também na segunda noite. Thomaz não deixou de gritar: "Rooooockk!" durante o show, que se transformou em sua marca registrada.

O mais “abismante” é que ao mesmo tempo em que conseguiam coro em suas músicas, o Autoramas também teve que escutar gritos de: "Matanza!Matanza!Matanza!".

Os gritos que pediam os "country-rockers" também foram ouvidos diversas vezes no que deveria ser o grande show da noite, o do Gonorants. Eles de certa forma acabaram acanhando a banda. Em certo momento, o baterista da banda, Rafael pedia calma ao público e dizia que o show já estava perto do fim.
Acabou que o trio não pôde mostrar tudo o que tem para mostrar, já que potencial eles tem. Mesmo com gritos de "Vanessa, eu te amo!", pedidos de música e participação especial de Gabriel Thomaz, para cantar duas músicas do Little Quail and the Mad Birds, a platéia daquela noite não era do Gonorants, mas sim do Matanza.

Antes de começar o show dos cariocas, a grade que já estava rente ao palco, foi colocada em seu local de origem pela produção.
O Matanza subiu no palco exatamente às 2h05 da madrugada e repetiu o que fez no Porão do Rock, instrumental para a entrada de Jimmy.
Mal havia começado o show e a grade de proteção na agüentou o empura-empurra. As pessoas começaram a cair, passar mal e além dos seguranças, algumas pessoas da produção também foram para frente do palco tentar colocar a grade lugar.

Jimmy até brincou com a situação e disse: "(...) também não precisa matar as pessoas que estão aqui na grade. Mas como não sou eu quem estou aí, foda-se!". A galera foi ao delírio, entretanto músicas depois, o show teve que ser parado para a grade ser recolocada no lugar, mais uma vez. Nesse meio tempo, algumas vozes começaram a gritar: "Ei, Matanza! Vai tomar no cu!". Os meninos passaram a se entreolhar sem entender muito bem o que estava acontecendo e antes disso, mostraram certo bom humor tocando, enquanto a produção trabalhava.

Jimmy que não estava no palco, voltou revoltado e deu um esporro na galera. Eles continuaram o show. Dessa vez, sem o brilho de antes, mas continuaram. As músicas percorreram todos os Cds lançados da banda e o coro foi até o último verso da noite.
Fotos: Manu Abdala.

2 comentários:

Eder (Mistico) disse...

Interessante este texto, mas muita coisa ficou omitida, acho q uma resenha de um evento precisa contar os pontos positivos também.

Fazer críticas não é apenas falar mal, não basta dizer foi ruim, deve explicar. em fim. foi a crítica mais fraca do evento. muito superficial!

Obrigado.

Alê dos Santos disse...

Obrigado por ter lido, antes de tudo.

Mas a minha crítica ao festival e ao mesmo tempo sugestão já foi feita para um dos produtores do evento. Acho que eles erraram em chamar tantas bandas para tocar numa noite, sendo que o intuito era lançar o Cd de vcs, Gonorants.

Eu no caso deles, teria chamado três bandas, uma daqui, o Autoramas e vcs, para fechar a noite. Assim vocês teriam mais tempo para tocar, bem como as outras bandas.

Eu gostei muito do festival e a grande crítica deste texto é para o público, que não soube se comportar ou melhor, respeitar quem estava no palco.

Ao mesmo tempo que curtiam High High Suicides, Autoramas e Gonorants, eles gritavam: "Matanza!", no meio do show dessas bandas!!! Foi isso que para mim, foi o grande absurdo.

A banda de vcs é muito boa Eder. Vcs estavam ótimos. A única coisa que falei é que poderia ter sido melhor.Mas melhor do ponto de vista do público e não de vcs.