12 novembro 2008

Vicky Cristina Barcelona

Lá estava eu na abertura do FIC Brasília. Era sua 10° edição e eles escolheram nada mais nada menos do que um filme do Woody Allen.
Vicky Christina Barcelona nem havia entrado no circuito comercial ainda e seria apresentado em Brasília pela primeira vez. Na verdade, vários outros filmes que ainda vão passar nas telonas pelo país afora, estariam no Festival de Cinema Internacional, o FIC. Como o filme do tão cultuado Francis Ford Coppola, Youth Without Youth.

A escolha para o filme de Woody Allen não poderia ser melhor. O filme com certeza vai entrar no hall de "melhores filmes do cineasta". Cômico e ao mesmo tempo sério, por tratar das relações humanas.

O enredo é simples, Vicky (interpretada por Rebeca Hall) é uma moça com os pés no chão, que está noiva e vai passar férias em Barcelona com a amiga Cristina. Cristina (Scarlett Johasson, a nova musa de Woody) é o oposto da amiga. Adora aventuras amorosas e por causa dela, elas acabam por conhecer um homem sedutor, ainda ligado a sua ex-mulher, María Elena (Penélope Cruz). Este homem, Juan Antônio (Javier Bardem) as convida para uma viagem e é partir desse encontro que o filme se envereda.

Acho que se eu contar muito, ele perde um pouco da graça, mas como já dá para saber em outros lugares, Cristina e Juan acabam se relacionando e María Elena entra no meio. Eles formam um trio, feliz e amoroso.

Já deu para perceber que Woody Allen mexe mesmo com as feridas, não é mesmo?

Sobre as interpretações, a destemperada María Elena não seria nada sem Penélope Cruz e me atrevo a dizer que sem a interpretação dessa grande atriz, o filme não seria a metade do que é. Penélope está fenomenal, uma mulher linda, que sabe manipular as coisas e as pessoas. Uma mulher problemática e ao mesmo tempo segura de si.

Javier está simplesmente diferente do todos os filmes que você já assistiu com ele. Nunca iria imaginar que ele conseguisse ficar tão bonito como está em Vicky. Já Scarllet não conseguiu me conquistar. Para mim, até a beleza dela ficou apagada no filme e ela só me mostrou que não é uma grande atriz. Scarllet pareceu totalmente sem brilho perto de Javier e principalmente, de Penélope Cruz.
Vale a pena assistir. O filme já está em algumas salas de Brasília e deve ganhar resenha nesta sexta-feira.

Nenhum comentário: