13 outubro 2008

E tenho dito!

Eu pensei muitas e muitas vezes se eu deveria ou não fazer este post, mas achei que vocês mereciam uma explicação sobre o porquê de eu ter me deixado levar por uma discussão aqui no blog e ainda mais fazer três posts de videoclipes com mensagens subliminares.

A primeira coisa que eu tenho para dizer é que este blog é público. O que quer dizer que não há ninguém fazendo como numa cena do Laranja Mecânica com você, te obrigando a ler o que se publica aqui.
Partindo desse preceito eu me pergunto: "Por que você lê uma coisa que não te agrada? E pior, para que você a comenta?".

Eu sou uma pessoa muito tranqüila sobre críticas. Fico chateada é fato, mas sempre me esforço para melhorar. A vida, como dizem, é um eterno aprendizado e graça a Deus (e isso é mais uma expressão do que uma crença), nós não nascemos sabendo de tudo. Agora para me criticar, por favor, tenha fundamento. Pois se suas críticas foram fracas elas entrarão por um ouvido e sairão pelo outro.

Não me venha dizer que eu sou uma "intelectualóide", quando eu não tenho vergonha de dizer em alto e bom som que não sou uma "sabe-tudo". Eu tenho muito o que aprender ainda e isso para mim não é vergonha nenhuma.

Todo essa falatório é apenas um desabafo e um ponto final para os comentários de um cara chamado Renato Nunes no post Kings of Leon - Only By The Night.

Para melhor entender, o meu problema com ele era pessoal e foi sim muita criancice da minha parte dar corda para ele e de certa forma, tentar resolver aqui. Eu, pelo menos, posso justificar a minha imaturidade pela minha tenra idade, mas e o nosso "queridíssimo amigo" ?

Umas das coisas que mais me espantaram na discussão com ele, foi o fato de ele, que diz entender tanto de rock, desmerecer completamente toda a história do rock inglês, como se a Inglaterra nunca tivesse soltado uma boa banda de rock.

O Kings of Leon (que é um quarteto de Nashville, EUA), claro, ainda é uma banda nova, que só agora com seu quarto álbum começa a chamar mais atenção da mídia e não só dos fãs. Em Only By The Night não encontramos mais um monte de meninos riquinhos que montaram uma banda só por fama e dinheiro, mas sim uma banda que cresceu e amadureceu.

A começar pelo estilo, que deixou de ser o contagiante country rock do primeio Cd, Youth and Young Manhood, para bailar entre o soft rock, também presente no Because of the Times (2007). As letras de Only (...) são em sua grande maioria sobre relacionamentos, para não dizer logo sexo. Além do som, a voz de Caleb também parece mais madura neste Cd.

Ainda sobre a discussão "blogal", foi descoberto que o nosso "querido amigo", o cara que desvirtuou a comunidade no Orkut do Cult 22 e os caras que falaram coisas baixo nível no Blog do Cult utilizam o mesmo IP. Ou seja, podem ser a mesma pessoa. Muita coincidência, não acham?

O que me faz me perguntar novamente: "Por que diabos o cara foi pedir para trabalhar na Rádio Cultura, se ele não gosta, para começar, nem do diretor da mesma?".

Como eu disse, este é um ponto final e eu poderia terminar em grande estilo colocando uma parte de "Crawl" do Kings, mas preferi terminar melhor ainda. Com vocês Matanza:


A Arte do Insulto

"(...) fala demais, mas no final não diz merda nenhuma!"

Nenhum comentário: